A realização acontece no nosso modo de pensar

Foto mostra dois aquários redondos de tamanhos diferentes. Um peixe dourado salta do aquário menor para o maior.

Por Simone Freire*

Li, recentemente, um livro muito interessante chamado Mindset (Mentalidade). Nele, a Dra. Carol Dweck, professora da Universidade de Stanford (EUA), por meio de inúmeros estudos realizados ao redor do mundo, mostra que o sucesso dos nossos projetos de vida depende diretamente da nossa maneira de enxergar o mundo!

Você é daqueles que vê o lado vazio ou o lado cheio do copo? Eu sempre optei por olhar o positivo da vida, em casa e no trabalho. Sempre foi o meu jeito de viver, e que acredito ser fundamental para continuar buscando um propósito em tudo que faço.

Em seu livro, Carol explica que existem, basicamente, dois padrões de mentalidade: o fixo e o de crescimento. As pessoas de mentalidade fixa acreditam em padrões estáticos, praticamente imutáveis. Já as de crescimento são aquelas que fazem do limão uma limonada e têm a certeza de que tudo pode ser aprendido e transformado.

Ao devorar os capítulos, fiquei muito feliz ao identificar que, desde sempre, pratico o mindset de crescimento. Aprendo diariamente com meus filhos, com meus amigos, com minha equipe, com desconhecidos na rua. Não fujo dos problemas – eles são reais, me atormentam, tiram meu sono, mas também são uma oportunidade de me fazer repensar, buscar um novo olhar e sair da minha zona de conforto.

Jamais acreditei que eu não pudesse ou não tivesse capacidade de fazer algo. Se fosse difícil, sabia que teria de me dedicar muito – e, se desistisse, seria porque tentei, não consegui, e tudo bem.

Minhas conquistas não caem do céu. Eu me esforço, tropeço bastante, caio e me ergo constantemente. Aceito os inúmeros desafios que surgem, sabendo que nem sempre vou acertar nas minhas decisões – mas que sempre terei a oportunidade incrível de aprendizado e crescimento, inclusive com meus erros.

Direcionar meu mindset para o crescimento me permitiu, 10 anos atrás, fundar a Espiral e apostar que era possível criar uma agência inspiradora, que trabalhasse com propósitos e impactasse positivamente a vida de quem estivesse comigo. De lá para cá, não parei de querer, de buscar, de arriscar! Recentemente, lancei o Movimento Web para Todos, com a missão de contribuir para a criação de uma Internet mais inclusiva. E, a cada dia, sigo fazendo novas escolhas, nunca limitadas ao que sou capaz de executar, mas principalmente ao que terei que aprender para que sejam bem sucedidas.

Não acredito que o talento seja nato (Cezanne e Monet se esforçaram como loucos, durante muitos anos, até pintarem obras realmente inspiradoras), que o sucesso é para predestinados e que a sorte é um atributo dos bem-sucedidos.

Acredito, sim, no poder das nossas escolhas. E que todos temos, desde o primeiro minuto em que abrimos os nossos olhos de manhã, a oportunidade de trabalhar nossa mente e atitudes para o crescimento, fazendo diferente, buscando soluções (no lugar de somente enxergar problemas) e tornando nossa jornada mais leve, positiva e transformadora.

*Simone Freire é diretora da Espiral Interativa.